Menu
da capo
Não tenha medo do caminho; tenha medo de não caminhar
Augusto Cury
Playlists com músicas especiais para você
17 de dezembro de 2017
uma leitura de 5 minutos

Partitura: A Importância da Leitura Musical – Parte I

– por Paula Musique –

Sim, existem muitos músicos bem-sucedidos que não sabem ler partitura e executam muito bem seus instrumentos, seja através da memorização de uma melodia ou harmonia pré-determinada ou com improvisos. Mas também há inúmeros músicos formidáveis que leem música. Pode-se dizer que há muitas vantagens no estudo formal da Música. Entretanto, a grande questão é: quão importante é a leitura musical?

Aprenda a Ler Notas Musicais com Imagens Autoexplicativas e Exercícios Automatizados – AGORA! (Parte I)
A Pirâmide do Aprendizado: como estudar melhor? (para vestibulandos, concurseiros e professores)
Aprenda a Ler Notas Musicais com Imagens Autoexplicativas e Exercícios Automatizados – AGORA! (Parte III – piano para todos)

VANTAGENS PARA QUEM LÊ

Quais são os benefícios da leitura musical?

1. Você não depende de ninguém para lhe ensinar uma música nova.

2. Você pode tocar qualquer música sem nunca tê-la escutado. Basta ter a partitura em mãos e voilà.

3. Você pode ser músico de orquestra sinfônica/filarmônica no Brasil e no exterior.

4. Você pode ser músico de banda militar.

5. Você pode cantar em corais profissionais no Brasil e no exterior.

6. Você pode fazer vestibular para o Curso de Música nas universidades.

7. Você pode ser músico de estúdio, onde, muitas vezes, o produtor fornece a partitura e você tem uns poucos minutos para olhar e já gravar para o cliente que pagou pelo serviço.

8. Você pode ser professor de música em escolas de música conceituadas.

9. No ensaio de sua banda, se você escrever uma música autoral, você pode levar a partitura para o cantor, guitarrista, violonista e baixista e todos podem tocar exatamente como você planejou e com muito mais rapidez, sem você ter de ficar cantarolando ou mostrando para os colegas até que consigam aprender e memorizar.

10. Numa gravação com sua banda no estúdio você economiza dinheiro. Tendo a partitura você sabe exatamente o que tocar, quando, com qual dinâmica e em qual andamento, sem ter que recorrer ao seu amigo ou a sua memória.

11. Se você esqueceu uma música que sabia de cor, basta olhar a partitura e relembrar aquele trecho esquecido.

12. Quando você está em um grupo de músicos que leem, você pode usar aquela terminologia que facilita a comunicação entre músicos, sabendo que todos entenderão, por exemplo: da capo, rallentando, a tempo, fermata, legato, staccato, ritornello, suspensão, etc.
… e muitas outras!

Aprenda a Ler Notas Musicais com Imagens Autoexplicativas e Exercícios Automatizados – AGORA! (Parte II – Cifras)
Partitura Artística: Conheça Belos Trabalhos e Inspire-se
O Passarinho Maluco: Conheça a Polêmica Obra de Schoenberg – ‘Pierrot Lunaire’

VANTAGENS PARA QUEM NÃO LÊ

E os benefícios de não ler?

1. Você pode desenvolver muito mais o seu ouvido, já que depende dele, e não de seus olhos.

2. Você pode desenvolver muito mais a prática de improvisação, já que não lê, muitas vezes terá de improvisar.

3. Você não precisa investir tempo praticando leitura.
… não consigo pensar em mais vantagens!

O MELHOR LIVRO DE TEORIA MUSICAL

Este artigo continua após este “momento comercial” (risos) sobre o meu livro FAVORITO de Teoria Musical – de todos que já li (amo o tema) este é o melhor. Para quem quer entender tudo de teoria, ser expert em leitura de partitura, conhecendo o nome de todos os símbolos musicais e para que servem, este é o clássico da Teoria da Música, escrito pelo tcheco Bohumil Med – o mais completo compêndio escrito em português. Por isto é o IDEAL PARA VESTIBULANDOS do curso de Música. Li por inteiro pela primeira vez quando era ainda adolescente (enchi o meu de marcações e grifos) e é o livro-base que utilizo para lecionar leitura musical. É muito detalhado e didático. Excelente para iniciantes que querem começar na música com o pé direito e também para músicos profissionais e professores que querem se aperfeiçoar, compreendendo as particularidades da mais bela de todas as artes: a Música!

Resumindo:
É o livro NÚMERO 1 DA TEORIA DA MÚSICA.
Se você pode comprar apenas um livro de teoria, deve ser este.
Conteúdo: Tudo sobre teoria da música, em detalhes, de forma muito didática e com exercícios simples para fixar o assunto.
Para quem é: iniciantes na Música, músicos profissionais, professores e VESTIBULANDOS!
Detalhes sobre o livro: a 5a edição é de 2017, tem 621g e “apenas” 399 páginas de pura magia musical.
Recomendações: Ler com muita atenção, ao som de boa música (recomendo jazz ou erudito) e tomando sua bebidinha favorita.
Exercícios: Para acompanhar o livro de teoria, você pode adquirir o volume que vem cheinho de exercícios COM GABARITO para você fixar o conteúdo que estudou ou para usar como atividades para seus alunos de música.

Teoria da Música. Vademecum da Teoria Musical

Teoria da Música. Livro de Exercícios

Obs.: Se você comprar através dos links acima, eu recebo uma pequena comissão (aê! agora fico rica!). Você comprando com meu link ou sem meu link, o preço para você é o mesmo. ;) Thanks!
.
Voltando…

.
Voltando…

No entanto, se formos debater sobre as duas listas acima, podemos afirmar que o músico que lê partitura também pode ser perito em “tocar de ouvido” e fera na improvisação, fazendo com que a única diferença nas listas seja a questão de que o não-leitor tem mais tempo disponível; só que para o músico que lê, a prática da leitura não é vista como perda de tempo, mas sim, como investimento em sua carreira.

Partitura. Ler partitura. Ei, ei… Continue aí, não vale fugir!

Jimi Hendrix, Eric Clapton, Paul McCartney e John Lennon não leem/liam música e ficaram para história. Todavia, Niccoló Paganini (violinista), Dizzy Gillespie (trompetista), Steve Vai (guitarrista), Marta Argerich (pianista) e Dave Weckl (baterista) – virtuoses em seus instrumentos -, leem/liam e são/foram intérpretes de peças de altíssimo nível de dificuldade, servindo de inspiração para todos os músicos que buscam ir além.

Fonte: www.dizzygillespie.com

Temos de ser realistas aqui, então vamos admitir que existe PRECONCEITO, sim, com músicos que não leem partitura. Para a academia, músico de verdade sabe ler música. Lembro-me da época do Bacharelado em Piano quando meus colegas diziam que pianistas são os que leem; os que não leem são tocadores de piano. Exagero? Penso que sim. Mas isto é minha visão pessoal – visto que não estou no time dos impiedosos.

Pergunte-se: qual é seu objetivo com a música? Você quer viver dela ou quer tocar apenas por hobby ou terapia?

Independente do seu objetivo, quero encorajá-lo a aprender A ARTE DE LER PARTITURA. Ou a pelo menos tentar. Ler partitura leva você mais longe, abre um maior leque de possibilidades para uma carreira na área da Música, além de facilitar sua prática e comunicação em ensaios e estúdios. Para ser um ótimo leitor, você terá de aprender, no mínimo: TEORIA MUSICAL, PERCEPÇÃO MUSICAL E HARMONIA. Leitura musical não é algo obrigatório na vida do músico, mas é uma ferramenta imprescindível para a maioria das carreiras na Música.

“É mais fácil do que parece, mais gostoso do que você pensa e muito mais recompensador do que você imagina” – Paula Musique

SUPERDICA: procure um professor que ame Leitura Musical, pois a motivação dele vai contagiar você; se você tiver um professor que acha a leitura enfadonha, vai ser difícil você encontrar prazer nesta prática. Vai por mim!

“Leitura Musical é como se fosse a CNH (carteira nacional de habilitação) que lhe permite percorrer os caminhos musicais que levam você mais longe” – Paula Musique

No fim das contas, apesar das diferenças entre o leitor e o não-leitor de partitura e as consequências para cada escolha, minha opinião é que, para o desenvolvimento e inovação de linguagens da arte, não importa exatamente como você aprende música: se você toca lendo, de ouvido ou de memória – o que importa é que você faça bem-feito e seja apaixonado pelo que faz!



Eu, particularmente, amo ler partitura e tenho usufruído dos muitos benefícios que esta prática me proporciona.

Teoria da Música. Vademecum da Teoria Musical

Vamos conversar ;)
PARA QUEM LÊ: O que você já conquistou por ter esta habilidade? Você gosta de ler? O que você diria para os músicos que querem aprender, mas não encontram motivação?
PARA QUEM NÃO LÊ: Você pretende aprender? Por que até hoje não aprendeu? Você acha que ler música abriria mais portas para você? Existe algum episódio ou professor que no seu processo de aprendizado lhe desencorajou?

Teste seus Conhecimentos sobre Instrumentos Musicais
Teste: você conhece estes termos musicais em italiano?
Quanto você sabe sobre História da Música Ocidental?

Se você gostou, deixe seu like e seu comentário para nos motivar a escrever mais.
Participe de nossas enquetes na barra lateral (computador) ou na parte inferior (smartphone) do blogue.
Siga o blogue e compartilhe com os seus amigos ;)

Paula Musique
Viver vai muito além de realizar meus próprios sonhos, pois posso dar as mãos ao próximo e ajudá-lo a realizar seus sonhos também & a vida fica muito melhor com Música.
Você também pode gostar de ler:
  1. Ygor 29/12/2017

    Não gosto de ler e sempre opto por memorizar todas as musicas em meu repertório por possuir grande dificuldade com leitura a primeira vista, mas mesmo assim reconheço que começar a aprender a ler partituras me proporcionou grandes benefícios, seja no entendimento da musica ou na percepção de certas nuances, que anteriormente passariam despercebidas.

    • Paula Musique respondeu Ygor 02/01/2018

      A habilidade de memorizar também é muito importante na vida do músico e iremos abordar este tema em alguns posts futuros aqui no blogue. Falaremos também sobre exercícios para o desenvolvimento da leitura à primeira vista.

  2. Rebecca Sampaio 12/05/2018

    Confesso que antes de ler o blog não pensava que músicos tinham a opção de não saber ler as partituras.
    Não me leve a mal não falo por arrogância, digo isso porque fiz musicalização e lembro que meu primeiro contato com a música foi vinculado a leitura, por isso nunca desenvolvi ou dei muita atenção para “tocar de ouvido” ou de memória. A partitura para mim é algo libertador, ao contrário do que muitos pensam, pois ela me permite tocar exatamente o que o compositor que eu admiro muito escreveu e tocava. Ela é libertadora também porque toda vez que eu penso que eu não tenho talento para música me lembro que com treino e estudo de partituras eu posso fazer coisas incríveis sem precisar no “talento nato”.

    Não sei se fugiu um pouco das suas perguntas no texto rsrsrs, mas eu senti vontade e liberdade de compartilhar essas coisas. Seu site é lindo demais! os textos me prendem do começo ao fim, o que é bem difícil pra uma pessoa viciada em rolar a barra da página para baixo. Vou continuar lendo, obrigada e parabens pelo trabalho <3

    • Paula Musique respondeu Rebecca Sampaio 13/05/2018

      Oi, Rebecca,

      Eu amo ler partituras. Acho tão mágico poder, séculos depois, tocar peças de forma bem similar ao que era executado pelos meus compositores favoritos… Porém, penso que em nossa formação musical é importante trabalharmos também o “tocar de ouvido”, “tocar de memória” e improvisação. ;) Isto nos torna músicos mais completos. Mas confesso que partitura é a minha favoritinha (às vezes, misturada com improvisação).

      Aww… Obrigada. Fico feliz ao ler isto! ❤ Para desenvolvermos um trabalho assim, leva muito tempo, estudo, atenção aos detalhes; e palavras assim de motivação fazem toda a diferença MESMO!

Copyright - Paula Musique © Todos os direitos reservados.